Dor nas Costas

Dor nas costas, lombalgia ou dor lombar é uma condição muito comum na população geral. Segundo a Organização Mundial de Saúde, 84% dos adultos apresentarão, ao menos, 1 crise de dor aguda nas costas durante a vida. A maior parte dessas pessoas apresentarão mais de 1 episódio na vida.

A maioria das pessoas com dor lombar aguda deve apresentar melhora dos sintomas com tratamento convencional. O objetivo inicialmente é o controle da dor, quanto mais rápido a melhora, melhor é o prognóstico. Devemos orientar sobre a manutenção do movimento, correção ergonômica e de estilo de vida necessário para prevenção de novas crises.

Apenas 1 % dos casos apresentam patologias graves como causa, mesmo assim devemos estar atento em nossa triagem diagnóstica.

Quando os sintomas persistem por 12 semanas, ´podemos definir como lombalgia crônica, sendo esta, de mais difícil controle e manejo.

Várias estruturas da coluna lombar podem fonte de dor:

  • Músculos e ligamentos
  • Facetas articulares (articulação entre as vertebras)
  • Discos intervertebrais
  • Articulação sacro-ilíaca

 A lombalgia pode ter diferentes causas, desde contratura muscular, processos degenerativos da coluna vertebral (discos intervertebrais, articulações entre as vértebras), até degeneração da articulação sacroilíaca.É de grande importância no diagnóstico da dor lombar descobrir a fonte da dor. Para isso precisamos saber a história clínica detalhada e fazer um exame físico minucioso, bem como analisar os exames de imagem.

A Termografia médica infravermelha é um exame funcional que avalia alterações inflamatórias, isquêmicas, sobrecargas e desequilíbrios que podem estar perpetuando o caso.É uma técnica de grande utilidade em casos mais difíceis e muito seguro, já que não envolve radiação e pode ser repetido quando necessário para avaliar evolução do tratamento.

Também temos à disposição os bloqueios diagnósticos que consistem em colocar pequenas quantidades de anestésico local nas estruturas suspeitas de serem a causa da dor. Desta maneira, podemos localizar com maior acurácia a causa da dor e definir o melhor e mais efetivo tratamento.

 

Tratamento

O tratamento da lombalgia pode ser feito através de medicações, acupuntura, fisioterapia especializada, exercícios físicos, procedimentos intervencionistas minimamente invasivos e, quando existe falha nos tratamentos conservadores, a cirurgia pode ser indicada.

Dentre os procedimentos intervencionistas indicados estão: bloqueio peridural com anti-inflamatório, radiofrequência convencional, radiofrequência pulsada e proloterapia.

Mais recentemente as pesquisas têm demonstrado eficácia com a medicina regenerativa, usando produtos ortobiológicos. A utilização de ácido hialurônico, plasma rico em plaquetas (PRP) e aspirado e concentrado de medula óssea (BMAC) tem ocupado um lugar de destaque na literatura.